Sign In
Destaques; WHAT'S!UP; WHAT'S!UP ME; WHAT'S!UP IT; WHAT'S!UP Cabin Crew; WHAT'S!UP Flight Crew
Fotogaleria

​Catarina Fernandes, Assistente de Bordo, é a mais recente Instagrammer TAP. A WHAT’S|UP foi conhecê-la um pouco melhor.

Quem era a Catarina Fernandes antes de entrar na Companhia?

Antes de entrar na TAP, estudei durante cinco anos na Escola Superior de Comunicação Social, onde conclui uma licenciatura em Relações Publicas e Comunicação Empresarial em 2011 e o mestrado em Marketing e Publicidade em 2013, ano em que também comecei a trabalhar na TAP.

Nunca fui de estar parada, por isso, durante estes anos sempre fui fazendo alguns estágios na área, bem como promoções e trabalhos em lojas. Durante o meu primeiro ano de Mestrado, em 2012, tive oportunidade de trabalhar no departamento de marketing de um hotel em Lisboa, o que apesar de me ter fomentado o “bicho” pelo turismo e viagens, não me preencheu. Penso que foi esta a experiência que me fez ter vontade de conhecer outras realidades fora de Portugal e, por isso, depois de concluir o estágio fui durante seis meses fazer o Programa Erasmus para Bruxelas.

Como surgiu a oportunidade de entrar na Companhia?

Tinha acabado de regressar de Erasmus e estava a concluir a minha tese. Durante o meu tempo em Bruxelas, tive oportunidade de viajar por 14 países diferentes e foi na altura em que comecei a pensar a aviação como um futuro para mim. Assim, acabada de regressar a Portugal, vi uma notícia online que referia que a TAP estava a recrutar assistentes/comissários de bordo e pensei: porque não? Parecia que estava destinado pois poucas semanas depois estava a fazer o recrutamento para a TAP. Quatro anos passaram e ainda parece que foi ontem.

O que significa, para si, ser Assistente de Bordo na TAP?

Penso que muitas vezes significa ser mãe. Além de transportar e servir todos aqueles que passam por nós diariamente, a nossa função passa muitas vezes por cuidar, durante as horas que estão connosco, de pessoas que têm medo, que estão chateadas, que precisam de alguém com quem conversar, que estão doentes. Temos que estar preparados para lidar com tudo.

Considera-se uma apaixonada pela fotografia? Como surgiu essa paixão?

Adoro fotografia! Acho que o meu amor foi aumentando com as viagens... Foi tudo muito gradual. Comecei por tirar fotos com o telemóvel, depois com uma máquina razoavelmente boa até que mudei para a minha máquina atual, que já me permite fotografar com grande qualidade. Consoante vamos apreendendo o investimento também vai aumentando e vamos percebendo que tipo de fotografia nos apaixona mais. Eu diria que a fotografia de viagem é o que mais faço, no entanto dentro desta categoria apaixonam-me os retratos: as pessoas, os seus olhares e a sua maneira de estar no meio em que vivem. Também gosto de fotografar detalhes... pequenas coisas para recordar mais tarde.

Fora da Empresa, quem é a Catarina?

Acho que sou uma rapariga normal... Gosto de rir, passar tempo com as pessoas de que gosto, fotografar e viajar. Nas minhas férias tento sempre ir a algum sítio novo, e já viajei algumas vezes sozinha. É incrível o que somos capazes de fazer quando estamos por nossa conta. No último ano passei um mês sozinha na Ásia  (Camboja e Vietname) e as experiências são incontáveis, a alegria nos momentos mais simples inacreditável e as fotografias ainda melhores!​